Carregando...
Jusbrasil - Legislação
18 de setembro de 2021

Decreto 52355/70 | Decreto nº 52.355, de 12 de janeiro de 1970

Publicado por Governo do Estado de São Paulo (extraído pelo Jusbrasil) - 51 anos atrás

LEIAM 0 NÃO LEIAM

Altera o artigo 547, do Decreto nº 42.850, de 30 de dezembro de 1963 Ver tópico (42 documentos)

 ROBERTO COSTA DE ABREU SODRÉ, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, usando de suas atribuições legais,  Decreta:

Artigo 1.º - O artigo 547, do Decreto nº 42.850, de 30 de dezembro de 1963, passa a ter a seguinte redação: "Excetuados os casos de residência obrigatória, previstos na legislação vigente, o funcionário ou servidor público só poderá residir em casa de propriedade do Estado com autorização expressa do Governador, mediante proposta justificada do Secretário de Estado, ou dirigente de órgão diretamente subordinado ao Governador, e ao qual pertencer o servidor ou funcionário. Ver tópico

 § 1.º - Independe de autorização do Governador a residência do Juiz de Direito da Comarca em prédio adquirido para essa finalidade.

 § 2.º - Os servidores públicos, incluídos os magistrados, que ocuparem, na forma estabelecida por este artigo, imóvel de propriedade do Estado, contribuirão mensalmente, a título de conservação, com quantia igual a 1% (um por cento) do seu valor real.

 § 3.º - O valor mensal da quantia referida no parágrafo anterior será corrigido anualmente, de acordo com os coeficientes de correção aprovados, para as locações residenciais, pelos órgãos federais competentes. À falta dos aludidos coeficientes, serão utilizados os previstos as Obrigações Reajustáveis do Tesouro Nacional.

 § 4.º - Em hipótese alguma, o valor mensal da contribuição, inclusive com os reajustes posteriores, poderá exceder a 10% (dez por cento) dos vencimentos ou salários dos servidores ocupantes de imóvel, excluídos os adicionais de qualquer natureza.

 § 5.º - A cada nova ocupação, proceder-se-á à revisão do valor real do imóvel pelos órgãos competentes da Secretaria da Fazenda, possibilitado, sem efeito suspensivo, pedido de laudo à Procuradoria do Patrimônio Imobiliário.

 § 6.º - A contribuição será descontada em folha pelas repartições pagadoras, levadas em conta as datas de ocupação e desocupação do imóvel pelo funcionário, ou servidor.

 § 7.º - Ficam isentos da contribuição prevista no § 2.º os servidores que se ocuparem em trabalhos braçais junto aos estabelecimentos agrícolas ou pecuários e que residam ou venham a residir em casas de propriedade do Estado e situadas no interior.

Artigo 2.º - Este decreto entrará em vigor na data de sua publicação, revogado o Decreto nº 44.751, de 27 de abril de 1965.   Palácio dos Bandeirantes, 12 de janeiro de 1970. Ver tópico

 ROBERTO COSTA DE ABREU SODRÉ

 Hely Lopes Meirelles, Secretário da Justiça

 Luís Arrôbas Martins, Secretário da Fazenda

 Antônio José Rodrigues Filho, Secretário da Agricultura  Eduardo Riomey Yassuda, Secretário dos Serviços e Obras Públicas  Firmino Rocha de Freitas, Secretário dos Transportes  Antônio Barros Ulhôa Cintra, Secretário da Educação  Olavo Vianna Moog, Secretário da Segurança Pública  José Felício Castellano, Secretário da Promoção Social  Virgílio Lopes da Silva, Secretário do Trabalho e Administração  Walter Sidney Pereira Leser, Secretário da Saúde  Orlando Gabriel Zancaner, Secretário de Cultura, Esportes e Turismo  Dilson Domingos Funaro, Secretário de Economia e Planejamento  José Adolpho Chaves de Amarante, Secretário do Interior  José Henrique Turner, Secretário de Estado-Chefe da Casa Civil   Publicado na Casa Civil, aos 12 de janeiro de 1970.

 Maria Angélica Galiazzi, Responsável pelo S.N.A.

×

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)