Carregando...
Jusbrasil - Legislação
19 de junho de 2021

Lei Complementar 318/83 | Lei Complementar nº 318, de 10 de Março de 1983

Publicado por Governo do Estado de São Paulo (extraído pelo Jusbrasil) - 38 anos atrás

LEIAM 0 NÃO LEIAM

Altera disposições da Lei nº 10.261, de 28 de outubro de 1968, da Lei nº 500, de 13 de novembro de 1974, da Lei Complementar nº 180. de 12 de  maio de 1978, e dá outras providências Ver tópico (2918 documentos)

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO:

Faço saber que, nos termos dos §§ 1.º e 3.º do artigo 24 da Constituição do Estado, promulgo a seguinte lei complementar:

Artigo 1.º - Passam a vigorar com a seguinte redação os dispositivos, adiante enumerados, da Lei nº 10.261, de 28 de outubro de 1968: Ver tópico (229 documentos)

"Artigo 76- O tempo de serviço público, assim considerado o exclusivamente prestado ao Estado e suas Autarquias, será contado singelamente para todos os fins.

Parágrafo único - O tempo de serviço público prestado à União, outros Estados e Municípios, e suas autarquias, anteriormente ao ingresso do funcionário no serviço público estadual, será contado integralmente para os efeitos de aposentadoria e disponibilidade."; Ver tópico

II - o inciso IV do artigo 78: Ver tópico

"IV - falecimento dos avós, netos, sogros, padrasto ou madrasta, até 2 (dois) dias;";

III - o artigo 81: Ver tópico

"Artigo 81 - Os tempos adiante enunciados serão contados:

I - para efeito de concessão de adicional por tempo de serviço, sexta-parte, aposentadoria e disponibilidade: Ver tópico

a) o de afastamento nos termos dos artigos 65 e 66 junto a outros poderes do Estado, a fundações instituídas pelo Estado ou empresas em que o Estado tenha participação majoritária pela sua Administração Centralizada ou Descentralizada, bem como junto a órgãos da Administração Direta da União, de outros Estados e Municípios, e de suas autarquias; Ver tópico

b) o de afastamento nos termos do artigo 67; Ver tópico

II - para efeito de disponibilidade e aposentadoria, o de licença para tratamento de saúde.". Ver tópico

Artigo 2.º - O inciso IV do artigo 16 da Lei nº 500, de 13 de novembro de 1974, passa a vigorar com a seguinte redação: Ver tópico (3 documentos)

"IV - falecimento dos avós, netos, sogros, padrasto ou madrasta, até 2 (dois) dias;

Artigo 3.º - Fica acrescentado ao artigo 16 da Lei nº 500, de 13 de novembro de 1974, o seguinte parágrafo único: Ver tópico (6 documentos)

"Parágrafo único - Os dias em que o servidor estiver afastado do serviço, em decorrência das faltas a que se refere o inciso X, serão considerados de efetivo exercício para fins de percepção de salário e de aposentadoria."

Artigo 4.º - Passam a vigorar com a seguinte redação os dispositivos, adiante enumerados, da Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978: Ver tópico (1 documento)

1- o artigo 9.º:

"Artigo 9.º - o prazo de validade do concurso público será de no máximo, 4 (quatro) anos, contados da homologação.";

II - o artigo 27: Ver tópico

"Artigo 27- Os cargos de chefia e encarregatura, pertencentes à Tabela II dos Subquadros de Cargos Públicos, serão providos mediante transposição, não se lhes aplicando o disposto nos artigos 24 e 25 desta lei complementar.

Parágrafo único - O disposto neste artigo aplica-se também às funções-atividades de chefia e encarregatura, pertencentes á Tabela I dos Subquadros de Funções-Atividades das Secretarias de Estado."; Ver tópico

III - o artigo 34: Ver tópico

"Artigo 34 - Reversão é o ato pelo qual o aposentado reingressa no serviço público a pedido ou"ex officio".

§ 1.º - A reversão a pedido será feita quando houver interesse para a Administração. Ver tópico

§ 2.º - A reversão "ex officio" será feita quando insubsistentes as razões que determinaram a aposentadoria por invalidez. Ver tópico

§ 3.º - A reversão só poderá efetivar-se quando, em inspeção médica, ficar comprovada a capacidade para o exercício do cargo. Ver tópico

§ 4.º - Se o laudo médico não for favorável, poderá ser feita nova inspeção de saúde, para o mesmo fim, decorridos pelo menos 90 (noventa) dias. Ver tópico

§ 5.º - Será tornada sem efeito a reversão "ex officio" e cassada a aposentadoria do funcionário ou servidor que não tomar posse ou não entrar em exercício dentro do prazo legal."; Ver tópico

IV - o artigo 117: Ver tópico

"Artigo 117 - O enquadramento do cargo para o qual o funcionário venha a ser nomeado em caráter efetivo ou da função-atividade de natureza permanente para a qual o servidor venha a ser admitido far-se-á mediante observância das seguintes normas:

I - se a velocidade evolutiva do novo cargo ou função-atividade for igual ou inferior à do anteriormente ocupado pelo funcionário ou servidor: Ver tópico

a) apurar-se-á o número de pontos consignados em seu prontuário até a data do exercício no novo cargo ou função-atividade, atribuídos a título de: Ver tópico

1. adicionais por tempo de serviço;

2. artigo 24 ou 25 das Disposições Transitórias desta lei complementar;

3. evolução funcional-avaliação de desempenho e evolução funcional;

b) o cargo ou função-atividade será enquadrado em referência numérica situada tantas referências acima da inicial da nova classe, quanto for a parte inteira da divisão por 5 (cinco), do total de pontos apurados na forma da alínea anterior; Ver tópico

II - se a velocidade evolutiva do novo cargo ou função-atividade for superior à do anteriormente ocupado pelo funcionária ou servidor: Ver tópico

a) apurar-se-á o número de pontos consignados em seu prontuário até a data do exercício no novo cargo ou função-atividade, atribuídos a título de: Ver tópico

1. adicionais por tempo de serviço;

2. artigo 24 ou 25 das Disposições Transitórias desta lei-complementar 3. evolução funcional-avaliação de desempenho e evolução funcional, divididos pelo número de pontos correspondentes ao conceito "bom (B)" previsto para a classe a que pertence o cargo ou função-atividade anteriormente ocupado e multiplicados pelo número de pontos correspondentes ao conceito "bom (B)" previsto para a nova classe;

b) o cargo ou função-atividade será enquadrado em referência numérica situada tantas referências acima da inicial da nova classe, quanto for a parte inteira da divisão por 5 (cinco), do total de pontos apurados na forma da alínea anterior; Ver tópico

III - ficarão consignados no prontuário, sob os títulos que lhes são próprios, os pontos apurados na forma da alínea a do inciso  I ou do inciso II, conforme o caso. Ver tópico

§ 1.º - o disposto nos incisos I e II aplica-se, também, aos casos em que, sem ser funcionário ou servidor quando da nomeação para cargo em caráter efetivo ou da admissão para função-atividade de natureza permanente, o nomeado ou admitido tenha tempo de serviço público prestado anteriormente ao Estado. Ver tópico

§ 2.º - O disposto no inciso II aplica-se, também, aos casos em que o nomeado para cargo de provimento em comissão tenha tempo de serviço público prestado anteriormente ao Estado, sem estar revestido, quando da nomeação, da qualidade de funcionário titular de cargo efetivo ou de servidor ocupante de função-atividade de natureza permanente. Ver tópico

§ 3.º - o disposto neste artigo não se aplica aos casos em que o nomeado para cargo de provimento em comissão tenha a qualidade de aposentado no serviço público, hipótese em que observar-se-á a disposição do artigo anterior."; Ver tópico

V - o inciso III do artigo 119: Ver tópico

"III - os pontos que lhe tenham sido atribuídos a título de evolução funcional-avaliação de desempenho e evolução funcional, divididos pelo número de pontos correspondentes no conceito"bom (B)"previsto para a classe a que pertence o cargo ou função-atividade anteriormente ocupado e multiplicados pelo número de pontos correspondentes ao conceito"bom (B) `previsto para a nova classe.";

VII - a alínea C do inciso I do artigo 195: Ver tópico

"c) os pontos que lhe tenham sido atribuídos a título de evolução funcional-avaliação de desempenho e evolução funcional, divididos pelo número de pontos correspondentes ao conceito"bom (B)" previsto para a classe a que pertence o cargo de que é titular e multiplicados pelo número de pontos correspondentes ao mesmo conceito fixado para a classe a que pertence o cargo do substituído.

Artigo 5.º - Fica acrescentado ao artigo 207 da Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978, o seguinte § 3.º: Ver tópico

"§ 3.º -  disposto no"caput"aplica-se, também, ao ocupante do cargo de Assessor Jurídico Chefe (Procurador do Estado)."

Artigo 6.º - A classe de Secretário, constante do Anexo de Enquadramento das Classes correspondente à Escala de Vencimentos 2 instituída pelo artigo 1.º da Lei Complementar nº 247, de 6 de abril de 1981, fica com a denominação alterada para Secretário I, mantidas as Tabelas dos Subquadros, as referências inicial e final, a amplitude e a velocidade evolutiva. Ver tópico

Artigo 7.º - Fica assegurada aos integrantes da carreira de Procurador do Estado e aos ocupantes dos cargos a ela vinculados por força do § 2.º do artigo 5.º da Lei Complementar nº 93. de 28 de maio de 1974, e do artigo 213 da Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978, o cômputo, para efeito de aposentadoria e disponibilidade, do tempo de exercício de advocacia, até o máximo de 5 (cinco) anos, desde que não desempenhado cumulativamente com qualquer função pública, sem prejuízo da aplicação da legislação estadual atinente à contagem recíproca do tempo de serviço. Ver tópico (1 documento)

Parágrafo único - A contagem de tempo a que se refere este artigo far-se-á mediante prova de inscrição nos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil durante o período a ser computado. Ver tópico

Artigo 8.º - Esta lei complementar e suas Disposições Transitórias serão aplicadas, no que couber, aos funcionários e servidores dos Quadros das Secretarias do Tribunal de Justiça, do Primeiro e Segundo Tribunal de Alçada Civil, do Tribunal de Alçada Criminal, do Tribunal de Justiça Militar e do Tribunal de Contas. Ver tópico

Artigo 9.º - Esta lei complementar e suas Disposições Transitórias serão aplicadas, no que couber, nas mesmas bases e condições, aos funcionários e servidores das Autarquias, da Universidade de São Paulo, da Universidade Estadual de Campinas e da Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho", mediante decreto. Ver tópico

Artigo 10 - Esta lei complementar e suas Disposições Transitórias serão aplicadas, no que couber, mediante decreto, aos funcionários e servidores integrantes: Ver tópico

I - do Quadro Especial instituído pelo artigo 7.º da Lei nº 119, de 29 de junho de 1973, com a alteração introduzida pela Lei nº 388, de 13 de agosto de 1974, composto de cargos e funções-atividades pertencentes á Superintendência de Águas e Esgotos da Capital - SAEC e ao Fomento Estadual de Saneamento Básico - FESB, sob a responsabilidade da Secretaria de Obras e do Meio Ambiente; Ver tópico

II - do Quadro Especial instituído pelo artigo 7.º da Lei nº 10.430, de 16 de dezembro de 1971, integrado na Secretaria da Fazenda, composto dos cargos e funções-atividades pertencentes à ex-autarquia Caixa Econômica do Estado de São Paulo; Ver tópico

III - da Parte Especial do Quadro da ex-autarquia Instituto de Pesquisas Tecnológicas, sob a responsabilidade da Secretaria da Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia. Ver tópico

Artigo 11 - Os títulos dos funcionários servidores e inativos abrangidos por esta lei complementar e suas Disposições Transitórias serão apostilados pelas autoridades competentes. Ver tópico

Artigo 12 - As despesas resultantes da aplicação desta lei complementar correrão á conta das dotações próprias do Orçamento- Programa vigente. Ver tópico (1 documento)

Artigo 13 - Esta lei complementar e suas Disposições Transitórias entrarão em vigor na data de sua publicação, retroagindo seus efeitos a 1.º de janeiro de 1983, ficando revogadas as disposições em contrário, em especial os artigos 101 e 211 da Lei nº 10.261, de 28 de outubro de 1968. Disposições Transitórias Ver tópico (6 documentos)

Artigo 1.º - Serão transformados na conformidade do Anexo I, que faz parte integrante desta lei complementar: Ver tópico (229 documentos)

I - o cargo efetivo do funcionário que, em 31 de dezembro de 1982, por ato nomeatório, estivesse ocupando cargo em comissão indicado no Anexo I; Ver tópico (142 documentos)

II - o cargo efetivo do funcionário que, em 31 de dezembro de 1982, por ato designatório regularmente expedido e publicado de conformidade com a legislação pertinente, se encontrasse como titular no exercício de função de serviço público de direção ou de supervisão indicada no Anexo 14, retribuída mediante "pro labore" previsto no artigo 28 da Lei nº 10.168, de 10 de julho de 1968; Ver tópico (53 documentos)

III - o cargo efetivo do funcionário que, em 31 de dezembro de 1982, por ato designatório regularmente expedido e publicado de conformidade com a legislação pertinente, se encontrasse nos termos do artigo 81 da Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978. respondendo pelas atribuições de cargo vago de direção indicado no Anexo I; Ver tópico (38 documentos)

IV - o cargo efetivo do funcionário que, em 31 de dezembro de 1982, por ato designatório regularmente expedido e publicado de conformidade com a legislação pertinente, se encontrasse, exercendo em caráter de substituição contínua, há pelo menos 6 (seis) meses, as funções de serviço público a que se refere o inciso II ou as atribuições de cargo vago de que trata o inciso III deste artigo. Ver tópico

§ 1.º - A aplicação do disposto neste artigo condiciona-se a comprovação de que, na data da publicação desta lei complementar conte o funcionário pelo menos 1 (um) ano, contínuo ou não, de exercício em cargos ou funções de direção, chefia, encarregatura, assessoramento ou assistência, bem como em cargos de provimento em comissão, na área da Administração Pública Estadual, e, no mínimo, 5 (cinco) anos de efetivo exercício no serviço público. Ver tópico

§ 2.º - Os cargos de Agente do Serviço Civil decorrentes de transformação prevista neste artigo, advindos de cargos efetivos de Médico ou de Médico Sanitarista, terão sua denominação acrescida da expressão "Médico" ou "Médico Sanitarista", respectivamente    e serão enquadrados na Escala de Vencimentos 7, observadas, para cada Nível, as correspondentes referências inicial e final, definidas pela Lei Complementar nº 247, de 6 de abril de 1981. Ver tópico (3 documentos)

§ 3.º O disposto neste artigo aplica-se, nas mesmas bases e condições, ao funcionário que, em 31 de dezembro de 1982, estivesse ocupando e se encontrasse no exercício do cargo em comissão de Chefe de Gabinete, adotando-se, para fins de transformação e enquadramento do cargo, as disposições previstas para o ocupante de cargo de coordenador. Ver tópico

§ 4.º O disposto neste artigo aplica-se, nas mesmas bases e condições, ao servidor que se encontre na situação nele prevista, hipótese em que a função-atividade de natureza permanente da qual seja ocupante será transformada em função-atividade cuja denominação corresponda à de cargo constante da coluna "Situação Nova'' do Anexo I. Ver tópico

§ 5.º - Os cargos e as funções-atividades decorrentes da transformação prevista neste artigo ficam integrados nas Tabelas I e III dos Subquadros de Cargos Públicos (SQC- I e SQC- III), conforme o caso, e na Tabela II dos Subquadros de Funções-Atividades (SQF-II), dos Quadros das respectivas Secretarias de Estado aos quais pertençam os cargos em comissão e as funções de serviço público, na conformidade do Anexo I. Ver tópico

§ 6.º - Os cargos de Assistente de Planejamento e Controle Educacional decorrentes da transformação prevista neste artigo ficam integrados na Tabela 1 do Subquadro de Cargos Públicos (SQC- I) do Quadro do Magistério da Secretaria da Educação. Ver tópico

Artigo 2.º - O funcionário ou servidor que, em 31 de dezembro de 1982, por ato designatório regularmente expedido e publicado de conformidade com a legislação pertinente, se encontrasse respondendo pelas atribuições de cargo vago ou de função-atividade vaga de chefia ou encarregatura. inclusive de Secretário de Escola, nos termos do artigo 81 da Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978, ou como titular no exercício de função de serviço público dessa natureza, retribuída mediante "pro labore'' previsto no artigo 28 da Lei nº 10.168, dela de julho de 1968, terá o cargo do qual seja titular efetivo ou a função-atividade de que seja ocupante transformado em cargo ou função-atividade correspondente àqueles, desde que, na data da publicação desta lei complementar, conte com pelo menos 1 (um) ano, contínuo ou não, de exercício nas mencionadas atribuições ou função e, no mínimo 5 (cinco) anos de efetivo exercício no serviço público. Ver tópico (3 documentos)

§ 1.º  - Para os fins do disposto no "caput" deste artigo computar-se-á, também, o período em que o funcionário ou servidor exerceu cargo ou função de serviço público de direção ou cargo de provimento em comissão na área da Administração Pública Estadual. Ver tópico

§ 2.º - Aplica-se o disposto neste artigo, nas mesmas bases e condições, ao funcionário que, preenchidos os requisitos de tempo previstos no "caput", estivesse, em 31 de dezembro de 1982, exercendo em caráter de substituição continua, há pelo menos 6 (seis) meses, cargo de chefia ou de encarregatura, inclusive de Secretário de Escola, nas seguintes hipóteses: Ver tópico (1 documento)

1. se o mencionado cargo do respectivo titular for transformado nos termos destas Disposições Transitórias;

2. se. mesmo não se operando a transformação a que alude o item anterior, houver, ou vier a haver dentro do prazo de 1 (um) ano, contado da data da publicação desta lei complementar, na área da respectiva Secretaria de Estado, cargo vago de chefia ou de encarregatura, de mesma natureza, atribuições e nível retribuitório, inclusive de Secretário de Escola, caso em que recairá a preferência sobre o funcionário mais antigo no exercício da substituição.

§ 3.º - O disposto neste artigo aplica-se, nas mesmas bases e condições, ao servidor que, preenchidos os requisitos de tempo previstos no "caput", estivesse, em 31 de dezembro de 1982, exercendo em caráter de substituição contínua, há pelo menos 6 (seis) meses, cargo de chefia ou de encarregatura, ou função-atividade dessa natureza, inclusive de Secretário de Escola, nas seguintes hipóteses: Ver tópico

1. se o mencionado cargo do respectivo titular, ou a mencionada função-atividade do respectivo ocupante, for transformado nos termos destas Disposições Transitórias;

2. se. mesmo não se operando a transformação a que alude o item anterior, houver, ou vier a haver dentro do prazo de 1 (um) ano, contado da data da publicação desta lei complementar, na área da respectiva Secretaria de Estado, função-atividade vaga de chefia ou encarregatura. de mesma natureza, atribuições e nível retribuitório, inclusive de Secretário de Escola, caso em que recairá a preferência sobre o servidor mais antigo no exercício da substituição.

§ 4.º Os cargos e funções-atividades de chefia e encarregatura, inclusive de Secretário de Escola, decorrentes da transformação prevista neste artigo, ficam integrados na Tabela I ou II dos Subquadros de Cargos Públicos (SQC- I ou SQC- II), de conformidade com os Anexos de Enquadramento das Classes nas Escalas de Vencimentos instituídas pela Lei Complementar nº 247, de 6 de abril de 1981, e na Tabela I dos Subquadros de Funções-Atividades (SQF-I), das respectivas Secretarias de Estado às quais pertençam os cargos e funções-atividades de chefia e de encarregatura exercidos e as funções de serviço público retribuídas mediante "pro labore' previsto no artigo 28 da Lei nº 10.168, de 10 de julho de 1968. Ver tópico

Artigo 3.º - Será transformado em cargo de Assistente de Diretor de Escola o cargo efetivo do professor que, em 31 de dezembro de 1982: Ver tópico (6 documentos)

I - por ato nomeatório estivesse ocupando cargo em comissão de Assistente de Diretor de Escola; Ver tópico

II - por ato designatório regularmente expedido e publicado de conformidade com a legislação pertinente, se encontrasse como titular no exercício de função de serviço público de Diretor de Escola, retribuída mediante "pro labore" previsto no artigo 28 da Lei nº 10.168, de 10 de julho de 1968; Ver tópico

III - por ato designatório regularmente expedido e publicado de conformidade com a legislação pertinente, se encontrasse, nos termos do artigo 81 da Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978 respondendo pelas atribuições de cargo vago de Diretor de Escola. Ver tópico

IV - por ato designatório regularmente expedido e publicado de conformidade com a legislação pertinente, se encontrasse exercendo em caráter de substituição contínua, há pelo menos 6 (seis) meses, a função de serviço público a que se refere o inciso II ou as atribuições de cargo vago de que trata o inciso III deste artigo. Ver tópico

§ 1.º - A aplicação do disposto neste artigo condiciona-se á comprovação de que, na data da publicação desta lei complementar, conte o funcionário pelo menos 1   (um) ano, contínuo ou não, de exercício em cargos ou funções de direção, chefia, encarregatura, assessoramento ou assistência, bem como em cargos de provimento em comissão, na área da Administração Pública Estadual, e, no mínimo. 5 (cinco) anos de efetivo exercício no magistério oficial de 1. e/ou 2.º graus do Estado de São Paulo. Ver tópico

§ 2.º - Para os fins do disposto no parágrafo anterior computar-se-á, também, o período em que o funcionário exerceu a função de Auxiliar de Diretor, do antigo ensino primário ou básico, ou de Assistente de Diretor, do antigo ensino médio. Ver tópico

§ 3.º - Os cargos decorrentes da transformação prevista neste artigo ficam integrados na Tabela I do Subquadro de Cargos Públicos (SQC- I) do Quadro do Magistério. Ver tópico (1 documento)

Artigo 4.º - o funcionário titular efetivo de cargo ou o servidor ocupante de função-atividade de Autarquia do Estado que, em 31 de dezembro de 1982, se encontrasse á disposição de órgão da Administração Centralizada do Estado e preenchesse as condições estabelecidas nos artigos 1.o ou 2.o destas Disposições Transitórias. poderá ter o seu cargo ou função-atividade transformado na forma neles prevista, ficando integrado no Quadro da Secretaria de Estado ao qual pertença o cargo em comissão, o cargo de chefia ou encarregatura ou a função de serviço público retribuída mediante `pro labore'' previsto no artigo 28 da Lei nº 10.168, de 10 de julho de 1968, conforme o caso. Ver tópico (1 documento)

§ 1.º - Aplica-se o disposto neste artigo, inversamente, ao funcionário ou servidor da Administração Centralizada do Estado, que, em 31 de dezembro de 1982, estivesse ocupando, em Autarquia do Estado, cargo ou função-atividade previstos nos artigos 1.o ou 2.0 destas Disposições Transitórias. Ver tópico

§ 2.º - O servidor da Administração Centralizada, regido pelas normas da Lei nº 500, de 13 de novembro de 1974. que esteja abrangido pelo parágrafo anterior e venha a se valer da opção de que trata o artigo 10 destas Disposições Transitórias, na respectiva Autarquia, passará a ser regido pela legislação trabalhista e vinculado ao regime da Lei Orgânica da Previdência Social. Ver tópico

Artigo 5.º - O funcionário titular efetivo de cargo ou o servidor ocupante de função-atividade de Autarquia do Estado que, em 31 de dezembro de 1982, se encontrasse à disposição de outra Autarquia do Estado e preenchesse as condições estabelecidas nos artigos 1.º ou 2.º destas Disposições Transitórias, poderá ter o seu cargo ou função-atividade transformado na forma neles prevista, ficando integrado no Quadro da Autarquia ao qual pertença o cargo em comissão, o cargo de chefia ou encarregatura ou a função-atividade em confiança, conforme o caso. Ver tópico

Artigo 6.º - O funcionário titular efetivo de cargo ou o servidor ocupante de função-atividade dos Quadros das Secretarias da Assembléia Legislativa, dos Tribunais de Justiça, de Alçada Civil e Criminal, de Justiça Militar e de Contas, bem como o funcionário da União ou de Municípios do Estado, poderá ser integrado em cargo ou função-atividade na conformidade do Anexo I, que faz parte integrante desta lei complementar, ou em cargo ou função-atividade de que trata o artigo 2.º destas Disposições Transitórias, desde que preencha, cumulativamente, os seguintes requisitos: Ver tópico

I - seja, na Assembléia Legislativa, nos Tribunais, na União ou nos Municípios, titular de cargo efetivo ou ocupante de função - atividade: Ver tópico

a) com mais de 15 (quinze) anos de serviço público; ou Ver tópico

b) se investido em virtude de concurso público ou admitido em virtude de processo seletivo, com mais de 5 (cinco) anos de serviço público; Ver tópico

II - estivesse em 31 de dezembro de 1982 à disposição ao Poder Executivo, em uma das seguintes situações: Ver tópico

a) ocupando cargo em comissão ou exercendo função de serviço público nos termos dos incisos Ia IV do artigo 1.º destas Disposições Transitórias, caso em que a integração será efetuada na forma do Anexo I, que faz parte integrante desta lei complementar; Ver tópico

b) respondendo pelas atribuições de cargo vago de chefia ou encarregatura, inclusive de Secretário de Escola, ou como titular no exercício de função de serviço público dessa natureza retribuída mediante "pro labore" previsto no artigo 28 da Lei nº 10.168, de 10 de julho de 1968, caso em que a integração será efetuada nos termos do artigo 2.º destas Disposições Transitórias; Ver tópico

III - conte, na data da publicação desta lei complementar, pelo menos 1 (um) ano, contínuo ou não, de exercício em cargos ou funções de direção, chefia, encarregatura, assessoramento ou assistência, bem como em cargos de provimento em comissão, na área da Administração Pública Estadual. Ver tópico

Parágrafo único - A integração de que trata este artigo far-se-á no Quadro da Secretaria de Estado ou da Autarquia do Estado ao qual pertença o cargo, a função-atividade ou a função de serviço público. Ver tópico

Artigo 7.º - o disposto no artigo 1.º destas Disposições Transitórias aplica-se, nas mesmas bases e condições, ao funcionário do Quadro da Secretaria do Segundo Tribunal de Alçada Civil, que em 31  de dezembro    de 1982, estivesse ocupando e se encontrasse no exercício do cargo de Secretário-Diretor Geral do mencionado Tribunal, adotando-se, para fins de transformação e enquadramento do cargo, as disposições previstas para o ocupante de cargo de Coordenador, constante do Anexo I, que faz parte integrante desta lei complementar. Ver tópico (1 documento)

Artigo 8.º - Na aplicação do disposto no artigo 1.º destas Disposições Transitórias, relativamente aos funcionários e servidores do Quadro do Tribunal de Contas, as transformações de cargos ou Funções-Atividades far-se-ão na conformidade do Anexo II, que faz parte integrante desta lei complementar. Ver tópico

Artigo 9.º - O funcionário titular efetivo de cargo ou o servidor ocupante de função-atividade dos Quadros das Secretarias de Estado poderá ser integrado em cargo ou função-atividade na conformidade do Anexo I ou II, que fazem parte integrante desta lei complementar, ou em cargo ou função-atividade de que trata o artigo 2.º destas Disposições Transitórias, desde que preencha, cumulativamente os seguintes requisitos: Ver tópico

I - seja, no Poder Executivo, titular de cargo efetivo ou ocupante de função-atividade: Ver tópico

a) com mais de 15 (quinze) anos de serviço público; ou Ver tópico

b) se investido em virtude de concurso público ou admitido em virtude de processo seletivo, com mais de 5 (cinco) anos de serviço público; Ver tópico

II - estivesse, em 31 de dezembro de 1982, à disposição do Tribunal de Justiça, do Primeiro e do Segundo Tribunais de Alçada Civil, do Tribunal de Alçada Criminal, do Tribunal de Justiça Militar ou do Tribunal de Contas, em uma das seguintes situações: Ver tópico

a) ocupando cargo em comissão ou exercendo função de serviço público nos termos dos incisos Ia IV do artigo l. destas Disposições Transitórias, caso em que a integração será efetuada na forma do Anexo I ou II, que fazem parte integrante desta lei complementar; Ver tópico

b) respondendo pelas atribuições de cargo vago de chefia ou encarregatura ou como titular no exercício de função de serviço público dessa natureza, retribuída mediante "pro labore" previsto no artigo 28 da Lei nº 10.168, de 10 de julho de 1968, caso em que a integração será efetuada nos termos do artigo 2.º destas Disposições Transitórias; Ver tópico

III - conte, na data da publicação desta lei complementar, pelo menos 1 (um) ano, contínuo ou não, de exercício em cargos ou funções de direção, chefia, encarregatura, assessoramento ou assistência, bem como em cargos de provimento em comissão, na área da Administração Pública Estadual. Ver tópico

Parágrafo único - A integração de que trata este artigo far-se-á no Quadro da Secretaria do Tribunal em que se encontre o funcionário ou o servidor. Ver tópico

Artigo 10 - O  enquadramento do cargo ou  função-atividade resultante da transformação ou integração prevista nos artigos 1.º, 2.º, 3.º  inciso I, 4.º, 5.º ou 6.º destas Disposições Transitórias será efetuado no mesmo padrão e Escala de Vencimentos com base nos quais o funcionário ou servidor percebia, em 31 de dezembro de 1982, o vencimento ou salário correspondente ao cargo que tiver ensejado a transformação ou integração. Ver tópico

§ 1.o - Nas transformações e integrações previstas nos artigos aludidos no "caput", relativamente ao funcionário ou servidor que se encontrasse no exercício de função de serviço público de encarregatura, chefia, supervisão ou direção, retribuída mediante "pro Labore" nos termos do artigo 28 da Lei nº 10.168, de 10 de julho de 1968, o enquadramento do cargo ou função-atividade resultante da transformação ou integração far-se-á no padrão e Escala de Vencimentos correspondentes ao cargo de encarregatura, chefia ou direção com base no qual, na forma do artigo 196 da Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978, estivesse sendo calculado, em 31 de dezembro de 1982. O valor do mencionado "pro labore". Ver tópico

§ 2.º - No caso de que trata o § 2.º do artigo 1.º destas Disposições Transitórias,   o   enquadramento    do   cargo ou  da função-atividade de Agente do Serviço Civil-Médico ou de Agente do Serviço Civil-Médico Sanitarista far-se-á com observância das seguintes normas; Ver tópico

1. o enquadramento será efetuado na referência numérica da Escala de Vencimentos 7 cujo valor, respeitados o grau e a Tabela, seja igual ao valor do padrão com base no qual o funcionário ou servidor percebia, em 31 de dezembro de 1982, o vencimento ou salário correspondente ao cargo, função-atividade ou função de serviço público que tiver ensejado a transformação;

2. se o valor do padrão não for igual ao de uma referência numérica, o cargo ou função-atividade será enquadrado na referência á qual corresponde o valor mais próximo:

3. se o funcionário ou servidor tiver o cargo ou função-atividade enquadrado em padrão cujo valor seja inferior ao valor ao padrão com base no qual percebia, em 31 de dezembro de 1982. seu vencimento ou salário, ser-lhe-á assegurada vantagem pessoal, de valor inalterado, correspondente à diferença entre os mencionados valores:

4. a percepção da vantagem pessoal de que trata o item anterior cessará no mês em que ocorrer qualquer das seguintes hipóteses:

a) elevação do cargo ou função-atividade do funcionário ou servidor para padrão superior, salvo em decorrência do disposto no artigo 95 da Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978; Ver tópico

b) alteração dos valores da Escala de Vencimentos aplicável ao funcionário ou servidor; Ver tópico

§ 3.º - Relativamente ao artigo 1.º a que se refere o "caput", se tratar de funcionário efetivo ou servidor ocupante de cargo em comissão de Auxiliar de Gabinete, o enquadramento do cargo ou função-atividade resultante da transformação obedecerá às seguintes normas: Ver tópico

1. o enquadramento do cargo ou função-atividade de Secretário II será efetuado na referência numérica da Tabela I da Escala de Vencimentos 2 cujo valor, respeitado o respectivo grau, seja igual ao valor do padrão no qual, em 31 de dezembro de 1982, se encontrava enquadrado o cargo de Auxiliar de Gabinete.

2. se o valor do padrão não for igual ao de uma referência numérica, o cargo ou função-atividade será enquadrado na referência á qual corresponda o valor mais próximo, assegurada, ao menos, a referência inicial da nova classe.

Artigo 11 - O enquadramento do cargo resultante da transformação prevista nos incisos II, III ou IV do artigo 3.º Destas Disposições Transitórias será efetuado mediante aplicação do disposto no artigo 119 da Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978, alterado pelo inciso V do artigo 4.º desta lei complementar, tomando-se, como base, os pontos consignados no prontuário do funcionário relativamente ao cargo de Professor do qual é titular, exceto os atribuídos a título de progressão funcional. Ver tópico

Artigo 12 - Para os efeitos do Sistema de Pontos de que cuida o Título XI da Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978, ao funcionário ou servidor, cujo cargo ou função-atividade em virtude de transformação ou de integração, tenha sido enquadrado na forma dos artigos 10 e 11 destas Disposições Transitórias, ficam atribuídos, a partir de 1.º de janeiro de 1983 e em substituição aos pontos consignados em seu prontuário até 31 de dezembro de 1982, pontos correspondentes e soma. Ver tópico (1 documento)

I - de tantas vezes 5 (cinco) pontos quanto for a diferença entre o número indicativo da referência inicial da classe a que pertença o funcionário ou servidor e o daquela em que tiver sido enquadrado o respectivo cargo ou função-atividade na forma dos dispositivos mencionados no "caput"; Ver tópico

II - do resto da divisão. por 5 (cinco), dos pontos consignados no prontuário até 31 de dezembro de 1982. ou, alternativamente, o total de pontos consignados até essa mesma data, se inferior a 5 (cinco). Ver tópico

§ 1.º - Ao funcionário ou servidor será atribuída, se superior á que resultar da aplicação do "caput'', a soma dos pontos consignados no respectivo prontuário, até 31 de dezembro de 1982, a título de: Ver tópico

1. adicional por tempo de serviço;

2. artigo 24 ou 25 das Disposições Transitórias da Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978, alterados pelos incisos IV e do artigo 1.º das Disposições Transitórias da Lei Complementar nº 209, de 17 de janeiro de 1979;

3. evolução funcional-avaliação de desempenho e evolução funcional, divididos pelo número de pontos correspondentes ao conceito "bom (B)" previsto para a classe a que pertence o cargo ou função- atividade anteriormente ocupado e multiplicados pelo número de pontos correspondentes ao conceito "bom (B)" previsto para a nova classe.

§ 2.º - Na hipótese do parágrafo anterior, o respectivo cargo ou função-atividade será enquadrado em referência numérica situada tantas referências acima da inicial da nova classe, Quanto for a parte inteira da divisão, por 5 (cinco), do número de pontos atribuídos com fundamento no referido dispositivo. Ver tópico

§ 3. - Os pontos atribuídos nos termos do "caput'' ou do 1.º serão consignados no prontuário do funcionário ou servidor na seguinte conformidade: Ver tópico

1. sob o título de adicional por tempo de serviço, os pontos atribuídos a esse título até 31 de dezembro de 1982;

2. sob os títulos que lhes são próprios, os pontos atribuídos até 31 de dezembro de 1982, com fundamento no artigo 24 ou 25 das Disposições Transitórias da Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978, alterados pelos incisos IV e V do artigo 12 das Disposições Transitórias da Lei Complementar nº 209, de 17 de janeiro de 1979;

3. sob o título de evolução funcional-avaliação de desempenho, os pontos atribuídos a esse título até 31 de dezembro de 1982, ajustados, quando for o caso, na forma do item 3 do § 1.º;

4. sob o título de evolução funcional, os restantes.

Artigo 13 - As transformações e integrações previstas nestas Disposições Transitórias dependerão de requerimento a ser formulado dentro de 60 (sessenta) dias, contados da data da publicação desta lei complementar. Ver tópico (6 documentos)

Artigo 14 - O órgão central do Sistema de Administração de Pessoal fará publicar relação nominal dos funcionários e servidores abrangidos pelas transformações ou integrações previstas nestas Disposições Transitórias. Ver tópico (2 documentos)

Artigo 15 - Fica assegurada a atual condição de efetividade aos ocupantes de cargos que em virtude de transformações ou integrações previstas nestas Disposições Transitórias passarem a integrar a Tabela I dos Subquadros de Cargos Públicos (SQC- I) dos respectivos Quadros. Ver tópico

Artigo 16 - Poderá ser nomeado para o cargo de Delegado de Ensino, do Subquadro de Cargos Públicos (SQC- I) do Quadro do Magistério. o Assistente de Planejamento e Controle Educacional que por sua habilitação especifica de grau superior, na forma definida pelo Conselho Estadual da Educação. Ver tópico

Artigo 17 - Relativamente aos titulares de cargos e ocupantes de Funções-Atividades decorrentes das integrações e transformações de que tratam estas Disposições Transitórias, computar-se-á, para efeito de observância do interstício necessário para que o funcionário ou servidor concorra á promoção de que trata o artigo 84 da Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978, alterado pelo artigo 1.º da Lei Complementar nº 260, de 30 de junho de 1981, o tempo de efetivo exercício que,   no grau, tenha sido cumprido no cargo ou função atividade anteriormente ocupado. Ver tópico

Artigo 18 - O funcionário ou servidor, docente ou não, da administração direta ou indireta, ocupante de cargo em comissão. Com direito á aposentadoria, que contar no mínimo 5 (cinco) anos, ininterruptos ou não, em cargo de provimento dessa natureza, poderá ser aposentado com proventos correspondentes ao cargo que estiver exercendo. desde que esteja no exercício do cargo em comissão há, pelo menos. 1 (um) ano, e o requeira até 60 (sessenta) dias, contados da data da publicação desta lei complementar. Ver tópico

Artigo 19 - Os cargos de Agente do Serviço Civil, decorrentes de transformações de cargos de Procurador do Estado, ocorridas nos termos do artigo 14 das Disposições Transitórias da Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978, ficam com sua denominação alterada para Assistente Jurídico (Procurador do Estado), referências inicial e final 10 e 25 da Escala de Vencimentos 4. amplitude de vencimentos A-I e velocidade evolutiva VE-1. Ver tópico

§ 1.º - Os cargos resultantes da alteração de denominação prevista neste artigo ficam integrados na Tabela I do Subquadro de Cargos Públicos (SQC- I) do Quadro da Secretaria da Justiça. assegurada a situação de efetividade de seus ocupantes. Ver tópico

§ 2.º - O enquadramento do cargo de Assistente-Jurídico (Procurador do Estado), resultante da aplicação deste artigo, será efetuado na referência numérica da Tabela I da Escala de Vencimentos 4, cujo valor, respeitado o respectivo grau, seja igual ao valor do padrão em que estivesse enquadrado. em 31 de dezembro de 1982, o cargo de Agente do Serviço Civil. Ver tópico

§ 3.º - Para os efeitos do Sistema de Pontos de que cuida o Título XI da Lei Complementar nº 180, de 12 de maio de 1978. Aplicar-se-á o disposto no artigo 12 destas Disposições Transitórias. Ver tópico

§ 4.º - O disposto neste artigo aplica-se também aos cargos de Agente do Serviço Civil que, decorrentes de transformações de cargos de Procurador do Estado. operadas com fundamento no artigo 51 das Disposições Transitórias da Lei Complementar nº 180. de 12 de maio de 1978. alterado pela Lei Complementar nº 209, de 17 de janeiro de 1979. estejam integrados em Quadros de Autarquias do Estado. Ver tópico

§ 5.º - O disposto neste artigo aplica-se também aqueles que, enquadrando-se na situação descrita no "caput'', tenham passado á inatividade em cargos de Agente do Serviço Civil anteriormente à vigência desta lei complementar. caso em que observar-se-á a norma do artigo 2.º da Lei Complementar nº 205, de 2 de janeiro de 1979. Ver tópico

§ 6.º - A aplicação do disposto neste artigo condiciona-se a opção do interessado, a Qual deverá ser manifestada por escrito perante a autoridade competente dentro de 60 (sessenta) dias contados da data da publicação desta lei complementar. Ver tópico

§ 7.º - O órgão central de recursos humanos fará publicar relação nominal dos funcionários abrangidos por este artigo, indicando a denominação do cargo antes ocupado e a do cargo decorrente da alteração prevista neste artigo. Ver tópico

Artigo 20- As contagens de tempo de serviço já efetuadas poderão ser revistas de acordo com as disposições do artigo 81 da Lei nº 10.261, de 28 de outubro de 1968, na redação dada pelo inciso III do artigo 1.º desta lei complementar, na medida em que de sua aplicação resulte benefício para o funcionário, servidor ou inativo. Ver tópico (2 documentos)

Parágrafo único - A revisão de que trata o "caput'' produzirá efeitos, inclusive no tocante à concessão de quaisquer vantagens pecuniárias, somente a partir da data da publicação desta lei complementar. Ver tópico

Palácio dos Bandeirantes. 10 de março de 1983.

JOSÉ MARIA MARIN

Manoel Gonçalves Ferreira Filho, Secretário da Justiça

Affonso Celso Pastore, Secretário da Fazenda

Renato Cordeiro, Secretário de Agricultura e Abastecimento

Walter Coronado Antunes, Secretário de Obras e do Meio Ambiente José Maria Siqueira de Barros, Secretário dos Transportes Jessen Vidal, Secretário da Educação Denir Zamariolli, Secretário da Saúde

Octávio Gonzaga Júnior. Secretário da Segurança Pública

Dured Fauaz, Secretário da Promoção Social Abdo Antonio Hadade, Secretário de Esportes e Turismo Idel Aronis, Secretário de Relações do Trabalho

Alberto Brandão Muylaert, Secretário da administração

Hygino Antonio Baptiston, Secretário de Economia e Planejamento

Marcos Lagos Cortes Campos, Secretário do Interior

Calim Eid, Secretário de Estado-Chefe da Casa Civil Ricardo Cavalcanti de Albuquerque, Secretário dos Negócios Metropolitanos Paschoal Castellano, respondendo pelo Expediente da Secretaria                     Extraordinária da Cultura Paulo Mário Carneiro da Cunha Mansur, Secretário Extraordinário de Informação e Comunicações Osvaldo Palma, Secretário da Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia Marino Pazzaglini Filho, Secretário Extraordinário da Desburocratização Publicada na Assessoria Técnico-Legislativa aos 10 de março de 1983. Esther Zinsly, Diretor (Divisão - Nível II).

TABELA DISPONÍVEL NA DIVISÀO DE PESQUISA JURIDICA - DDI

Amplie seu estudo

×

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)