Carregando...
Jusbrasil - Legislação
01 de julho de 2022

Decreto 66770/22 | Decreto nº 66.770, de 24 de maio de 2022 de São Paulo

Publicado por Governo do Estado de São Paulo - 1 mês atrás

LEIAM 0 NÃO LEIAM

Institui a Medalha do Cinquentenário do 1º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano "Marechal Humberto de Alencar Castello Branco" e dá providências correlatas Ver tópico (1 documento)

RODRIGO GARCIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, suas atribuições legais e à vista da manifestação do Conselho Estadual da Ordem do Ipiranga, Decreta:

Artigo 1º - Fica instituída a Medalha do Cinquentenário do 1º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano “Marechal Humberto de Alencar Castello Branco” (1º BPM/M - Mal. Castello Branco), com o objetivo de galardoar personalidades civis e militares ou instituições públicas e privadas, que tenham contribuído para o maior brilho do 1º BPM/M - Mal. Castello Branco ou, de algum modo, prestado relevantes serviços na região de Santo Amaro, ao Estado de São Paulo e à população paulista, atuando direta ou indiretamente para a elevação do nome da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Ver tópico

Artigo 2º - A medalha de que trata o artigo 1º deste decreto tem a seguinte descrição: Ver tópico

I - no anverso: Ver tópico

a) em forma de escudo redondo com 18 mm (dezoito milímetros) de diâmetro em blau (azul), representando a justiça, a perseverança, o zelo e a lealdade, com bordadura em prata, tendo ao centro um castelo em prata, lavrado de sable (negro), aberto e iluminado de goles (vermelho), que simboliza o asilo, proteção e a segurança, ladeado por duas torres em prata e, em contrachefe, faixas ondeadas em prata e blau, representando a represa do Guarapiranga, na região de Santo Amaro; Ver tópico

b) o disco é orlado por uma faixa em goles medindo 6 mm (seis milímetros), representando o valor e a ousadia, com bordadura em prata, tendo em chefe a inscrição “1966” e em ponta a inscrição “1º BPM/M MHACB”, tudo em caracteres versais maiúsculos em prata; Ver tópico

c) a peça encontra-se assentada sobre uma cruz de quatro braços cinzelados, em prata, com suas extremidades dilatadas, em recortes de triângulo em ângulo agudo, opostas pelos vértices, semelhantes aos da Cruz de Malta, medindo 35 mm (trinta e cinco milímetros) de comprimento da extremidade de um braço ao outro diametralmente oposto, identificando o símbolo do guerreiro cristão; Ver tópico

d) entre os braços da cruz, em aspa, uma espingarda com cano à sinistra e uma carabina com cano à destra, ambas em suas cores naturais, representando o armamento longo mais utilizado nos últimos cinquenta anos pelo 1º BPM/M - Mal. Castello Branco; Ver tópico

II - no verso: um disco em blau, medindo 18 mm (dezoito milímetros) de diâmetro, tendo, ao centro, o Brasão de Armas da Polícia Militar do Estado de São Paulo com suas cores próprias e em alto relevo, orlado por uma faixa em esmalte branco medindo 6 mm (seis milímetros), contendo em chefe a inscrição “POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO” e em ponta a inscrição “15-XII-1831”, em caracteres versais maiúsculos em sable; Ver tópico

III- a medalha pende por uma fita de gorgorão de seda chamalotada de 60 mm (sessenta milímetros) de comprimento e 35 mm (trinta e cinco milímetros) de largura, composta de 7 (sete) listras, verticalmente dispostas da direita para a esquerda, tendo as seguintes cores e proporções: Ver tópico

a) vermelha, de 3 mm (três milímetros); Ver tópico

b) azul, de 3 mm (três milímetros); Ver tópico

c) vermelha, de 6 mm (seis milímetros); Ver tópico

d) branca, de 11 mm (onze milímetros); Ver tópico

e) vermelha, de 6 mm (seis milímetros); Ver tópico

f) azul, de 3 mm (três milímetros); Ver tópico

g) vermelha, de 3 mm (três milímetros). Ver tópico

§ 1º - Acompanharão a medalha: a miniatura, a barreta, a roseta, o diploma, o histórico e as condições de uso da medalha. Ver tópico

§ 2º - A miniatura terá a medida de 15 mm (quinze milímetros) em sua extensão maior, pendente por uma fita de 60 mm (sessenta milímetros) de comprimento por 15 mm (quinze milímetros) de largura, com a mesma composição descrita neste artigo, guardadas as devidas proporções. Ver tópico

§ 3º - A barreta terá 35 mm (trinta e cinco milímetros) de comprimento por 11 mm (onze milímetros) de altura, com a mesma disposição de cores da fita e tendo ao centro um castelo em prata, lavrado de sable, aberto e iluminado de goles ladeado por duas torres em prata. Ver tópico

§ 4º - A roseta terá 10 mm (dez milímetros) de diâmetro, em blau com bordadura em goles, tendo, ao centro, um castelo em prata, lavrado de sable, aberto e iluminado de goles ladeado por duas torres em prata e, em contracheque, faixas ondeadas em prata e blau. Ver tópico

§ 5º - O diploma terá as características e os dizeres a serem estabelecidos pela comissão a que se refere o artigo 3º deste decreto e, em seu verso, deverão constar as informações de registro da medalha. Ver tópico

Artigo 3º - A medalha será outorgada pelo Comandante Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, mediante proposta de comissão integrada pelo Comandante da OPM, que será seu presidente, e por mais quatro membros por este escolhidos, dos quais três, obrigatoriamente, serão oficiais do 1º BPM/M - Mal. Castello Branco. Ver tópico

§ 1º - A comissão reunir-se-á tantas vezes quantas se fizerem necessárias, por convocação de seu presidente. Ver tópico

§ 2º - A medalha poderá ser concedida a título póstumo. Ver tópico

Artigo 4º - Os diplomas, acompanhados do "curriculum vitae" do indicado, serão encaminhados ao Conselho Estadual da Ordem do Ipiranga para deliberação e registro. Ver tópico

§ 1º - A aprovação das indicações das personalidades e instituições a serem agraciadas dependerá do voto da maioria absoluta dos membros da comissão, "ad referendum" do Conselho Estadual da Ordem do Ipiranga. Ver tópico

§ 2º - A recusa do Conselho Estadual da Ordem do Ipiranga em registrar o diploma implicará o cancelamento da indicação. Ver tópico

Artigo 5º - Perderá o direito ao uso da condecoração, bem como a ela não fará jus, aquele que tenha sido condenado a pena privativa de liberdade ou praticado qualquer ato contrário à dignidade ou ao espírito da honraria. Ver tópico

Artigo 6º - O militar do Estado indicado deverá, se Praça, estar, no mínimo, no comportamento “bom” e, se Oficial, não ter sido punido pelo cometimento de faltas atentatórias às instituições ou ao Estado, atentatórias aos direitos humanos fundamentais, ou de natureza desonrosa. Ver tópico

Artigo 7º - Publicado o ato concessório da honraria em boletim geral da Polícia Militar, a comissão de que trata o artigo 3º deste decreto providenciará a lavratura do diploma respectivo, que será assinado pelo Comandante Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo e pelo Comandante do 1º BPM/M - Mal. Castello Branco. Ver tópico

Artigo 8º - A comissão manterá um Livro Ata (Livro de Ouro), o qual trará, em sua abertura, o Histórico da OPM e, a seguir, em ordem numérica, os nomes e qualificações dos agraciados. Ver tópico

Artigo 9º - A entrega das medalhas será feita preferencialmente em solenidade pública, na data de aniversário do 1º BPM/M - Mal. Castello Branco, na presença do Comandante Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Ver tópico

Artigo 10 - Na hipótese da extinção da honraria, seus cunhos, exemplares remanescentes e complementos serão recolhidos ao Conselho Estadual da Ordem do Ipiranga, sem quaisquer ônus para os cofres públicos. Ver tópico

Artigo 11 - As despesas decorrentes da aplicação deste decreto correrão à conta das dotações próprias consignadas no orçamento-programa vigente. Ver tópico

Artigo 12 - As disposições constantes deste decreto somente poderão ser alteradas após submissão ao Conselho Estadual da Ordem do Ipiranga. Ver tópico

Artigo 13 - Este decreto entra em vigor na data de sua publicação. Ver tópico

Palácio dos Bandeirantes, 24 de maio de 2022

RODRIGO GARCIA

Publicado em: 25/05/2022 Atualizado em: 25/05/2022 10:45 66.770.docx

Amplie seu estudo

×

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)