Carregando...
Jusbrasil - Legislação
02 de junho de 2020

Decreto 46601/02 | Decreto nº 46.601, de 12 de Março de 2002

Publicado por Governo do Estado de São Paulo (extraído pelo Jusbrasil) - 18 anos atrás

LEIAM 0 NÃO LEIAM

Dispõe sobre a Política Estadual de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento de Hipertermia Maligna - HM. Ver tópico (4 documentos)

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, no uso de suas atribuições legais e considerando os termos da Lei nº 10.781, de 9 de março de 2001 , que institui a Política Estadual de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento de Hipertemia Maligna - HM, Decreta:

Artigo 1º - O Programa Estadual de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento da Hipertermia Maligna - PROPREV - HM insere-se na Política de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento da Hipertermia Maligna - HM do Estado de São Paulo, sob a Coordenação da Secretaria da Saúde. Ver tópico

Parágrafo único - O PROPREV - HM abrange, além da Administração Direta, as Autarquias, as Fundações instituídas ou mantidas pelo Poder Público, bem como as demais instituições direta ou indiretamente vinculadas ao Estado, ou com ele conveniadas ou contratadas para execução de ações e atividades de saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS/SP. Ver tópico

Artigo 2º - O PROPREV - HM tem por objetivos a prevenção, diagnóstico, tratamento e orientação dos pacientes suscetíveis e respectivos familiares, visando a erradicação do número de vítimas fatais da síndrome da Hipertermia Maligna no Estado. Ver tópico

Artigo 3º - Para a consecução dos objetivos do PROPREV - HM a Secretaria da Saúde constituirá Grupo Técnico Permanente com as seguintes atribuições às quais poderão ser acrescentadas outras a critério do Secretário da Saúde: Ver tópico

I - instituir, organizar e inserir informações/dados no Cadastro Estadual de Informações sobre a incidência, prevalência e óbitos decorrentes da HM; Ver tópico

II - elaborar no prazo de 120 (cento e vinte) dias, Norma Técnica visando disciplinar os aspectos múltiplos referentes à prevenção, diagnóstico e tratamento da HM e, no mesmo prazo, protocolo específico para a investigação clínico-epidemiológico dos casos de HM; Ver tópico

III - promover levantamentos, estudos epidemiológicos/estatísticos e pesquisas sistemáticas na literatura científica e por meio de rastreamento na população, com o objetivo de obter informes a respeito da incidência e prevalência de HM em nosso meio; Ver tópico

IV - divulgar, periodicamente, informações atualizadas sobre a Síndrome da HM e formas para evitar seus efeitos, visando subsidiar as ações de profissionais e entidades ligadas à saúde. Ver tópico

Parágrafo único - Os serviços prestados pelo Grupo Técnico Permanente serão considerados relevantes e realizados sem prejuízo das atribuições normais dos seus membros. Ver tópico

Artigo 4º - As entidades de assistência à saúde do Estado, integrantes ou não do Sistema Único de Saúde - SUS/SP, que realizam procedimentos médico-cirúrgicos deverão notificar, ao Centro de Vigilância Sanitária da Secretaria da Saúde, imediatamente após a adoção das condutas terapêuticas indicadas, o diagnóstico de quadros clínicos de HM. Ver tópico (1 documento)

§ 1º - Entende-se por entidade de assistência à saúde, para os efeitos deste decreto, o estabelecimento de natureza hospitalar ou equivalente, prestador de assistência médico-sanitária a uma determinada clientela, em conformidade com o diagnóstico no Manual de Terminologia Básica em Saúde, do Ministério da Saúde. Ver tópico

§ 2º - As entidades de assistência à saúde, integradas ou não ao SUS/SP que realizam procedimentos com o uso de medicamentos que possam desencadear Hipertermia Maligna deverão garantir o tratamento específico imediato dos pacientes que vierem a apresentar quadro clínico de HM, responsabilizando-se civil e criminalmente pela eventual omissão. Ver tópico

§ 3º - A compulsoriedade da notificação a que alude este artigo estende-se aos Serviços de Verificação de Óbito - SVO e Instituto Médico Legal - IML, relativamente aos casos suspeitos de HM verificados nos respectivos âmbitos de atuação. Ver tópico

§ 4º - A notificação compulsória referida no "caput" será formalizada mediante preenchimento da Ficha de Notificação de Eventos Adversos, na conformidade do modelo constante do Anexo que integra o presente decreto, complementando as informações com o nome completo do paciente e o endereço. Ver tópico (1 documento)

Artigo 5º - A Secretaria da Saúde baixará os atos complementares à execução deste decreto, ficando autorizada a firmar convênios com as instituições que possam vir a contribuir com ações destinadas à prevenção, diagnóstico e tratamento da Hipertermia Maligna. Ver tópico

Artigo 6º - Este decreto entra em vigor na data de sua publicação. Ver tópico

Palácio dos Bandeirantes, 12 de março de 2002

GERALDO ALCKMIN

ANEXO

a que se refere o § 4º do artigo do Decreto nº 46.601, de 12 de março de 2002 (ENTRA FICHA DE NOTIFICAÇÃO DE EVENTOS ADVERSOS A MEDICAMENTOS)

ORIENTAÇÕES DE PREENCHIMENTO)

Publicado em: 13/03/2002 Atualizado em: 24/06/2005 10:54

Publicado em: 13/03/2002 Atualizado em: 24/06/2005 10:54

×

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)