Carregando...
Jusbrasil - Legislação
22 de maio de 2022

Decreto 66272/21 | Decreto nº 66.272, de 29 de novembro de 2021 de São Paulo

Publicado por Governo do Estado de São Paulo - 5 meses atrás

LEIAM 0 NÃO LEIAM

Autoriza a abertura de licitação para a concessão dos serviços de operação, manutenção e realização de investimentos necessários para a exploração do sistema aquaviário de transporte de veículos e passageiros denominado Sistema de Travessias Litorâneas Ver tópico (2 documentos)

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, no uso de suas atribuições legais, Considerando a aprovação pelo Conselho Diretor do Programa Estadual de Desestatização - CDPED, criado pela Lei nº 9.361, de 5 de julho de 1996, do modelo de concessão dos serviços de operação, manutenção e realização de investimentos necessários para a exploração do sistema aquaviário de transporte de veículos e passageiros denominado Sistema de Travessias Litorâneas, por ocasião da 26ª Reunião Conjunta Ordinária, concernente à 262ª Reunião Extraordinária do Conselho Diretor do Programa Estadual de Desestatização - CDPED e à 109ª Reunião Extraordinária do Conselho Gestor do Programa Estadual de Parcerias Público-Privadas - CGPPP, cuja ata foi publicada no Diário Oficial de 1º de Outubro de 2021;

Considerando o estabelecido no artigo 175 da Constituição Federal, na Lei nº 7.835, de 8 de maio de 1992, e na Lei federal nº 8.987, de 13 de fevereiro de 1995, que dispõem sobre o regime de concessão e permissão da prestação de serviços públicos, bem assim nas normas gerais para licitações e contratos, aplicáveis aos órgãos da administração pública direta e às demais entidades controladas direta ou indiretamente pela União, Estado, Distrito Federal e Municípios;

Considerando que a concessão possibilitará a promoção de investimentos no Sistema de Travessias Litorâneas, contribuindo para o aumento na segurança dos usuários, recuperação da infraestrutura existente e ampliação da capacidade do sistema, aumentando a eficiência em sua operação;

Considerando que os estudos técnicos contemplam a realização de cerca de R$ 272.685.628,59 (duzentos e setenta e dois milhões, seiscentos e oitenta e cinco mil, seiscentos e vinte e oito reais e cinquenta e nove centavos), relativos à data base de agosto de 2021, em investimentos nas 8 (oito) travessias litorâneas, sendo estas: São Sebastião - Ilhabela, Santos - Vicente de Carvalho, Santos - Guarujá, Bertioga - Guarujá, Cananeia - Ilha Comprida, Iguape - Juréia, Cananéia - Continente e Cananéia - Ariri, Decreta:

Artigo 1º - Fica autorizada a abertura de licitação, na modalidade de concorrência internacional, para a concessão da operação, manutenção e realização de investimentos necessários para a exploração do sistema aquaviário de transporte de veículos e passageiros denominado Sistema de Travessias Litorâneas, constituído por: Ver tópico

I - Litoral Norte: Travessia São Sebastião - Ilha Bela; Ver tópico

II - Litoral Centro: Ver tópico

a) Travessia Santos - Vicente de Carvalho; Ver tópico

b) Travessia Santos - Guarujá; Ver tópico

c) Travessia Bertioga - Guarujá; Ver tópico

III- Litoral Sul: Ver tópico

a) Travessia Cananéia - Ilha Comprida; Ver tópico

b) Travessia Iguape - Juréia; Ver tópico

c) Travessia Cananéia - Continente; Ver tópico

d) Travessia Cananéia - Ariri. Ver tópico

Parágrafo único - O Sistema de Travessias Litorâneas a ser concedido ainda é composto por 3 (três) estaleiros, 34 (trinta e quatro) embarcações e 14 (quatorze) flutuantes. Ver tópico

Artigo 2º - A administração do Sistema de Travessias Litorâneas, nos termos do artigo 1º deste decreto, permanecerá sob a responsabilidade do Departamento Hidroviário da Secretaria de Logística e Transportes, nos termos do Decreto nº 45.087, de 31 de julho de 2000 , até a transferência total da operação à futura concessionária. Ver tópico

Artigo 3º - Com a celebração do contrato de concessão, na forma prevista no inciso V do artigo da Lei Complementar nº 914, de 14 de janeiro de 2002 , a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo - ARTESP passará a exercer, sobre o Sistema de Travessias Litorâneas de que trata o artigo 1º deste decreto, todas as atribuições previstas na referida lei complementar. Ver tópico

Artigo 4º - A Secretaria de Logística e Transportes, órgão integrante do Estado de São Paulo, atuará como Poder Concedente no âmbito da delegação contratual prevista neste decreto, praticando todos os atos a ele reservados por lei, regulamento ou contrato. Ver tópico

Artigo 5º - A licitação referida no artigo 1º deste decreto será realizada pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo - ARTESP, nos termos previstos no inciso IV do artigo 4º da Lei Complementar nº 914, de 4 de janeiro de 2002, e deverá obedecer aos seguintes parâmetros: Ver tópico

I - o objeto da concessão abrangerá a operação, manutenção e realização de investimentos necessários para a exploração do sistema aquaviário de transporte de veículos e passageiros denominado Sistema de Travessias Litorâneas, conforme descritos no artigo 1º deste decreto; Ver tópico

II - o prazo da concessão será de 30 (trinta) anos, contado da data de início conforme previsto no contrato de concessão; Ver tópico

III - os valores das tarifas serão calculados pela concessionária tendo como limite o valor indicado na estrutura tarifária estabelecida no arranjo contratual, observadas as isenções tarifárias legalmente previstas, devendo também ser respeitadas as normas vigentes e aplicáveis da ARTESP e demais órgãos competentes da Administração Pública; Ver tópico

IV - o critério de julgamento da licitação será o de maior oferta pela outorga da concessão, observados o valor mínimo e a forma de pagamento estabelecidos no edital; Ver tópico

V - exigência de garantia de proposta, bem como comprovação de patrimônio líquido mínimo, como critério de qualificação econômico-financeira; Ver tópico

VI - admissão da participação no certame de sociedades empresariais, fundos de investimentos e outras pessoas jurídicas, brasileiras ou estrangeiras, isoladamente ou em consórcio, respeitadas as leis e demais normativas aplicáveis, nos termos do edital de concessão; Ver tópico

VII - obrigatoriedade de constituição de Sociedade de Propósito Específico - SPE, sob a forma de sociedade por ações, de acordo com a legislação brasileira, com a finalidade única de explorar o objeto da concessão; Ver tópico

VIII - admissão da oferta, pela concessionária, de créditos e receitas decorrentes do contrato a ser firmado, e de outros bens e direitos, como garantia de financiamentos obtidos para os investimentos necessários, mediante anuência do Poder Concedente, nos termos do disposto nos artigos 29 e 30 da Lei nº 7.835, de 8 de maio de 1992, e da legislação vigente sobre o tema; Ver tópico

IX - admissão da exploração de atividades compatíveis com o objeto da concessão como fonte de receita acessória, nos termos previstos em contrato; Ver tópico

X - previsão de pagamento de ônus de fiscalização, calculado a partir da receita auferida pela concessionária; Ver tópico

XI - possibilidade de que a concessionária contrate com terceiros, por sua conta e risco, o desenvolvimento de atividades inerentes, acessórias ou complementares àquelas previstas no contrato de concessão, desde que tal contratação não ocasione detrimento da qualidade ou segurança dos serviços delegados, permanecendo a concessionária como responsável pela gestão da prestação dos serviços delegados. Ver tópico

Parágrafo único - A Comissão de Licitação, a ser coordenada pela ARTESP, será composta ao menos por representantes dessa autarquia, da Secretaria de Logística e Transportes e do Departamento Hidroviário do Estado de São Paulo, designados nos termos da legislação aplicável. Ver tópico

Artigo 6º - Fica aprovado o Regulamento da Concessão Sistema do Travessias Litorâneas, conforme Anexo I que faz parte integrante deste decreto, constituído pela infraestrutura descrita no artigo 1º deste decreto. Ver tópico (1 documento)

Artigo 7º - Fica aprovado o Plano Geral de Outorga, composto pelas informações previstas neste decreto e seus Anexos, nos termos do § 3º do artigo da Lei Complementar nº 914, de 14 de janeiro de 2002. Ver tópico (1 documento)

Artigo 8º - Este decreto entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos, no tocante ao regulamento a que alude o artigo 6º, a partir da transferência do Sistema de Travessias Litorâneas à concessionária. Ver tópico

Palácio dos Bandeirantes, 29 de novembro de 2021

JOÃO DORIA

ANEXO I

a que se refere o artigo do Decreto nº 66.272, de 29 de novembro de 2021 REGULAMENTO DA CONCESSÃO DOS SERVIÇOS DE OPERAÇÃO, MANUTENÇÃO E REALIZAÇÃO DOS INVESTIMENTOS NECESSÁRIOS PARA A EXPLORAÇÃO DO SISTEMA AQUAVIÁRIO DE TRANSPORTE DE VEÍCULOS E PASSAGEIROS DENOMINADO SISTEMA DE TRAVESSIAS LITORÂNEAS.

CAPÍTULO I

Do Objetivo

Artigo 1º - Este regulamento tem por objetivo disciplinar os serviços públicos de operação, manutenção e realização dos investimentos necessários para a exploração do sistema aquaviário de transporte de veículos e passageiros denominado SISTEMA DE TRAVESSIAS LITORÂNEAS, constituído por: Ver tópico

I - Litoral Norte: Travessia São Sebastião - Ilha Bela; Ver tópico

II - Litoral Centro: Ver tópico

a) Travessia Santos - Vicente de Carvalho; Ver tópico

b) Travessia Santos - Guarujá; Ver tópico

c) Travessia Bertioga - Guarujá; Ver tópico

III - Litoral Sul: Ver tópico

a) Travessia Cananeia - Ilha Comprida; Ver tópico

b) Travessia Iguape - Juréia; Ver tópico

c) Travessia Cananéia - Continente; Ver tópico

d) Travessia Cananéia - Ariri. Ver tópico

§ 1º - O Sistema de Travessias Litorâneas a ser concedido é composto ainda por 3 (três) estaleiros, 34 (trinta e quatro) embarcações e 14 (quatorze) flutuantes. Ver tópico

§ 2º - A Travessia Cananéia - Ariri contempla parada na comunidade do Marujá. Ver tópico

Artigo 2º - Ao Sistema de Travessias Litorâneas descrito no artigo 1º deste regulamento serão incorporadas todas as ampliações a serem implantadas durante o período da concessão, que passarão a integrar a infraestrutura do sistema e área da concessão. Ver tópico

CAPÍTULO II

Dos Serviços Previstos no Sistema de Travessias Litorâneas

Artigo 3º - Os serviços e demais atividades operacionais a serem executados são classificados em: Ver tópico

I - delegados; Ver tópico

II - não delegados; Ver tópico

III - atividades geradoras de receitas acessórias. Ver tópico

Artigo 4º - São serviços delegados, de competência da concessionária ou de terceiros por ela contratados, aqueles correspondentes às funções operacionais, às funções de conservação e aos investimentos em embarcações e em infraestruturas, nos termos do Caderno de Encargos que acompanhará o edital de licitação. Ver tópico

Artigo 5º - São serviços não delegados aqueles de competência exclusiva do Poder Público, Municipal, Estadual ou Federal, não compreendidos no objeto da concessão, tais como: Ver tópico

I - fiscalização e controle do tráfego aquaviário; Ver tópico

II - manutenção das condições de navegabilidade nas rotas das Travessias; Ver tópico

III - manutenção da sinalização náutica; Ver tópico

IV - fiscalização e autuação de infrações de veículos terrestres relativas a: Ver tópico

a) documentação; Ver tópico

b) regras de circulação e parada; Ver tópico

c) transporte de materiais inflamáveis; Ver tópico

d) transporte de carros-fortes; Ver tópico

V - fiscalização e organização do tráfego dos veículos terrestres nas áreas externas aos Terminais; Ver tópico

VI - fiscalização das condições de segurança e de acessibilidade das instalações dos terminais, oficinas e estaleiros; Ver tópico

VII - ministrar cursos do Ensino Profissional Marítimo (EPM). Ver tópico

Artigo 6º - São atividades geradoras de receitas acessórias aquelas consideradas convenientes, mas não essenciais, para manter serviço adequado em toda a área da concessão, a serem prestados diretamente pela concessionária ou por terceiros por ela contratados. Ver tópico (1 documento)

CAPÍTULO III

Das Responsabilidades da Concessionária

Artigo 7º - São deveres da concessionária, durante todo o prazo de concessão: Ver tópico (1 documento)

I - acionar os recursos à sua disposição a fim de assegurar aos usuários o recebimento de serviço adequado, nos níveis exigidos pelo contrato de concessão; Ver tópico

II - prestar os serviços delegados sem interrupção, durante todo o prazo da concessão; Ver tópico

III - prestar com zelo os serviços públicos delegados e apoiar a prestação dos serviços não delegados; Ver tópico

IV - implantar, de forma adequada, a execução e supervisão permanente dos serviços delegados; Ver tópico

V - apoiar a ARTESP e outros órgãos e entidades públicas na execução de serviços que estejam fora do objeto da concessão cuja execução se relacione a esta; Ver tópico

VI - executar todas as obras, serviços, controles e atividades relativos à concessão, com zelo, diligência e economia, utilizando a melhor técnica aplicável a cada uma das tarefas desempenhadas e obedecendo a normas, padrões e especificações estabelecidos pela ARTESP, adotando providências necessárias à garantia do patrimônio concedido; Ver tópico

VII - executar serviços de ampliação e melhoramentos destinados a adequar a capacidade da infraestrutura à demanda e aumentar a segurança e a comodidade dos usuários; Ver tópico

VIII - obter prévia anuência da ARTESP para os projetos, planos e programas relativos à operação e à ampliação do Sistema de Travessias Litorâneas; Ver tópico

IX - refazer, de imediato, os serviços sob sua responsabilidade, executados com vícios ou defeitos; Ver tópico

X - elaborar todos os estudos, projetos e demais documentos necessários ao cumprimento do objeto da concessão; Ver tópico

XI - disponibilizar à ARTESP todos e quaisquer documentos pertinentes à concessão; Ver tópico

XII - prestar informações e esclarecimentos requisitados pela ARTESP ou demais órgãos competentes, garantindo acesso irrestrito a todas as dependências do Sistema de Travessias Litorâneas, assim como aos sistemas digitais implantados pela concessionária, facultando, outrossim, à fiscalização, a realização de auditorias em suas contas; Ver tópico

XIII - comunicar à ARTESP toda e qualquer ocorrência em desconformidade com a operação adequada do Sistema de Travessias Litorâneas; Ver tópico

XIV - obter todas as licenças, autorizações, permissões, dentre outras exigências necessárias, incluindo as relacionadas ao atendimento da legislação regulatória e ambiental; Ver tópico

XV - cumprir determinações legais relativas à legislação trabalhista, previdenciária, de segurança e medicina do trabalho, em relação aos seus empregados, responsabilizando-se, como única empregadora, por todos os encargos sociais, trabalhistas e previdenciários incidentes sobre o custo da mão de obra empregada nas atividades de operação e de manutenção, além das demais por ela praticadas em razão da concessão, bem como pelas determinações legais relativas a seguro e acidente de trabalho; Ver tópico

XVI - responder, perante a ARTESP, o Estado de São Paulo e terceiros, por todos os atos e eventos de sua competência; Ver tópico

XVII - responder por seus empregados, prepostos, subcontratados, prestadores de serviços ou qualquer outra pessoa física ou jurídica relacionada à concessão; Ver tópico

XVIII - executar as condicionantes, os programas ambientais e as medidas mitigadoras; Ver tópico

XIX - zelar pela integridade dos bens que integram a concessão e pelas travessias que integram o Sistema de Travessias Litorâneas; Ver tópico

XX - informar à população e aos usuários, nos locais pertinentes do Sistema de Travessias Litorâneas e no sítio eletrônico da concessionária, sempre que houver alteração das tarifas, o seu novo valor e a data de vigência; Ver tópico

XXI - zelar pela proteção dos recursos naturais e ecossistemas; Ver tópico

XXII - manter em dia o inventário e o registro dos bens vinculados à concessão, na periodicidade e de acordo com as regras estabelecidas no contrato; Ver tópico

XXIII - manter em plena operação, e dentro dos padrões estabelecidos, os canais de relacionamento com os usuários, bem como os serviços de ouvidoria, previstos em normas aplicáveis à espécie; Ver tópico

XXIV - observar o regramento estabelecido no contrato e normas expedidas pela ARTESP quanto à devolução do Sistema de Travessias Litorâneas ou eventual transferência para concessionária que a suceda; Ver tópico

XXV - cumprir as demais disposições previstas no contrato de concessão. Ver tópico

CAPÍTULO IV

Da Fiscalização dos Serviços Concedidos, do Poder de Polícia Administrativa e das Penalidades

Artigo 8º - Estão sujeitos à fiscalização e monitoramento todos os serviços previstos no presente regulamento. Ver tópico

§ 1º - A qualidade, continuidade, regularidade, eficiência, atualidade, generalidade, segurança e cortesia na prestação dos serviços, e a modicidade das tarifas, fatores de avaliação que definem o nível de serviço adequado, conforme disposto na Lei Federal nº 8.987, de 13 de fevereiro de 1995, serão base para a fiscalização dos serviços a que se refere este artigo. Ver tópico

§ 2º - Para os fins do disposto neste artigo, a ARTESP estabelecerá normas e especificações técnicas, indicadores e parâmetros para quantificação e aferição dos fatores a que se refere o § 1º deste artigo. Ver tópico

Artigo 9º - O Poder Concedente exercerá, no Sistema de Travessias Litorâneas a que se refere este regulamento, o poder de polícia administrativa, incluída a competência para impor multas aos infratores dos regulamentos aplicáveis. Ver tópico

Artigo 10 - A concessionária sujeitar-se-á à fiscalização da ARTESP, que poderá contar com a cooperação de usuários. Ver tópico

§ 1º - No exercício da fiscalização, a ARTESP terá acesso aos dados relativos à administração, contabilidade, recursos técnicos, econômicos e financeiros da concessionária, inclusive por via eletrônica e em tempo real. Ver tópico

§ 2º - A fiscalização do serviço será feita pela ARTESP, que poderá contratar serviços de apoio à fiscalização, observado o disposto na Lei Complementar nº 914, de 14 de janeiro de 2002 e alterações posteriores. Ver tópico

CAPÍTULO V

Das Tarifas e das Receitas

Artigo 11 - Constituem receitas da concessionária, a partir das datas previstas no edital: Ver tópico

I - tarifas; Ver tópico

II - rendimentos decorrentes de aplicações no mercado financeiro; Ver tópico

III - cobrança de serviços prestados ao usuário; Ver tópico

IV - cobrança de preço por publicidade não vedada em lei; Ver tópico

V - valores recebidos por seguro e por penalidades pecuniárias previstas nos contratos firmados entre a concessionária e terceiros, bem como resultantes de execução de garantias oferecidas no âmbito dos contratos celebrados com terceiros; Ver tópico

VI - receitas acessórias obtidas em conformidade com a disciplina contratual; Ver tópico

VII - outras previstas no edital e no contrato respectivo, ou que venham a ser regulamentadas pelo Poder Concedente, ou propostas pela concessionária, desde que previamente autorizadas pela ARTESP, observadas as regras de compartilhamento de receitas. Ver tópico

Artigo 12 - Os valores das tarifas serão calculados pela concessionária tendo como limite o valor indicado na estrutura tarifária estabelecida no arranjo contratual, observadas as isenções tarifárias legalmente previstas, devendo também ser respeitadas as normas vigentes e aplicáveis da ARTESP e demais órgãos competentes da Administração Pública. Ver tópico

Parágrafo único - Os critérios e a periodicidade de reajuste das tarifas são estabelecidos no edital e contrato de concessão, assim como a disciplina sobre receitas acessórias. Ver tópico

CAPÍTULO VI

Dos Direitos e Obrigações dos Usuários

Artigo 13 - São direitos e obrigações dos usuários: Ver tópico

I - receber serviço adequado; Ver tópico

II - cumprir as obrigações legais e regulamentares pertinentes à utilização dos serviços delegados; Ver tópico

III - receber do Poder Concedente, da ARTESP e da concessionária informações para defesa de interesses individuais ou coletivos e para o uso correto do Sistema de Travessias Litorâneas; Ver tópico

IV - receber da ARTESP e da concessionária informações relacionadas ao valor das tarifas aplicáveis ao serviço delegado; Ver tópico

V - ter acesso aos diferentes Sistemas e canais de relacionamento, Ouvidoria, atendimento em mídias sociais, entre outros; Ver tópico

VI - obter e utilizar o serviço, com liberdade de escolha, observadas as normas do Poder Público; Ver tópico

VII - levar ao conhecimento da ARTESP e da concessionária as irregularidades de que tenham conhecimento, referentes ao serviço prestado; Ver tópico

VIII - comunicar às autoridades competentes atos ilícitos praticados pela concessionária na prestação do serviço; Ver tópico

IX - contribuir para a conservação das boas condições dos bens públicos por meio dos quais lhes são prestados os serviços; Ver tópico

X - estar garantido pelos seguros previstos no contrato de concessão; Ver tópico

XI - valer-se de infraestrutura adaptada às pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, inclusive idosos, nos termos previstos nas normas vigentes. Ver tópico

Artigo 14 - A ARTESP e a concessionária estimularão a participação da comunidade em assuntos referentes ao Sistema de Travessias Litorâneas. Ver tópico

CAPÍTULO VII

Das Disposições Gerais

Artigo 15 - O Poder Concedente providenciará, mediante proposta da concessionária, as medidas para a declaração de utilidade pública dos bens e áreas necessários à eventual ampliação do Sistema de Travessias Litorâneas, responsabilizando-se a concessionária pela promoção das desapropriações e servidões administrativas, bem como pelas respectivas indenizações, observados os termos e condições do contrato de concessão, na forma autorizada pelo Poder Público. Ver tópico

Artigo 16 - Extinta a concessão, retornarão ao Poder Concedente todos os bens reversíveis, direitos e privilégios vinculados à exploração do Sistema de Travessias Litorâneas, transferidos à concessionária ou por ela implantados, no âmbito da concessão, na forma prevista em lei e no contrato. Ver tópico

Parágrafo único - Com o advento do termo final do prazo de vigência do contrato de concessão, os bens reversíveis, direitos e privilégios a que se refere o "caput" deste artigo poderão ser transferidos à concessionária que eventualmente assuma a prestação dos serviços de que trata este regulamento, observados os trâmites, prazos, formalidades e obrigações estabelecidos no contrato. Ver tópico

Artigo 17 - Nos termos das normas de organização administrativa vigentes do Estado de São Paulo, compete à Secretaria de Logística e Transportes expedir normas complementares necessárias à execução deste regulamento. Ver tópico

Artigo 18 - A ARTESP firmará o contrato de concessão como interveniente anuente, observado o disposto no artigo , I, da Lei Complementar nº 914, de 14 de janeiro de 2002, tendo a atribuição de gerenciar o contrato de concessão. Ver tópico

ANEXO II

a que se refere o artigo do Decreto nº 66.272, de 29 de novembro de 2021 PLANO GERAL DE OUTORGA

1. APRESENTAÇÃO

O presente documento constitui o Plano de Outorga objetivando a implementação, via delegação ao setor privado, do projeto de concessão da prestação dos serviços de operação, manutenção e realização dos investimentos necessários para a adequação e exploração do sistema aquaviário de transporte de veículos e passageiros denominado Sistema de Travessias Litorâneas.

2. CONTEÚDO DO PLANO DE OUTORGA

O Plano de Outorga descreve os ativos objeto da Concessão, os itens relevantes da exploração do Sistema de Travessias Litorâneas e do modelo de Concessão e os principais aspectos do processo licitatório.

3. DO OBJETO A SER LICITADO

Será licitado o sistema aquaviário de transporte de veículos e passageiros denominado Sistema de Travessias Litorâneas, composto por:

I - Litoral Norte: Travessia São Sebastião - Ilha Bela; Ver tópico

II - Litoral Centro: Ver tópico

a) Travessia Santos - Vicente de Carvalho; Ver tópico

b) Travessia Santos - Guarujá; Ver tópico

c) Travessia Bertioga - Guarujá; Ver tópico

III - Litoral Sul: Ver tópico

a) Travessia Cananeia - Ilha Comprida; Ver tópico

b) Travessia Iguape - Juréia; Ver tópico

c) Travessia Cananéia - Continente; Ver tópico

d) Travessia Cananéia - Ariri. Ver tópico

O Sistema de Travessias Litorâneas a ser concedido é composto ainda por 3 (três) estaleiros, 34 (trinta e quatro) embarcações e 14 (quatorze) flutuantes.

4. JUSTIFICATIVA PARA CONCESSÃO

Considerando que a Concessão possibilitará a promoção de investimentos no Sistema de Travessias Litorâneas, contribuindo para o aumento na segurança dos usuários, recuperação da infraestrutura existente e ampliação da capacidade do sistema, aumentando a eficiência em sua operação, o projeto foi apresentado e aprovado pelo Conselho Diretor do Programa Estadual de Desestatização - CDPED, criado pela Lei nº 9.361, de 5 de julho de 1996.

5. ASPECTOS LICITATÓRIOS

O edital de licitação e o contrato de concessão deverão seguir os seguintes parâmetros:

I - a concessão será implementada sob a formatação de concessão comum, nos termos da Lei federal nº 8.987, de 13 de fevereiro de 1995 e demais leis aplicáveis; Ver tópico

II - o objeto do contrato será a concessão dos serviços de operação, manutenção e realização dos investimentos necessários para a exploração do sistema aquaviário de transporte de veículos e passageiros denominado Sistema de Travessias Litorâneas; Ver tópico

III - o prazo da concessão poderá ser prorrogado como método de recomposição do equilíbrio econômico-financeiro do contrato; Ver tópico

IV - o valor das tarifas deverá respeitar a regulação emitida pela ARTESP e demais órgãos competentes da Administração Pública; Ver tópico

V - o concessionária poderá explorar receitas acessórias, nos termos disciplinados pelo contrato; Ver tópico

VI - a concessão será precedida por licitação na modalidade concorrência internacional; Ver tópico

VII - o critério de julgamento da licitação será o de maior outorga; Ver tópico

VIII - o edital demandará comprovação de habilitação técnica, econômico-financeira, jurídica e fiscal trabalhista, nos termos da legislação aplicável; Ver tópico

IX - poderão participar da licitação: sociedades, pessoas jurídicas e entidades, brasileiras ou estrangeiras, isoladamente ou reunidas em consórcio, nos termos do edital de concessão; Ver tópico

X - como condição de assinatura do contrato de concessão a adjudicatária deverá constituir uma Sociedade de Propósito Específico - SPE, de acordo com o edital e com a legislação brasileira; Ver tópico

XI - será previsto pagamento de ônus de fiscalização à ARTESP; Ver tópico

XII - será possível a subcontratação de terceiros, nos limites previstos no contrato de concessão; Ver tópico

XIII - endereçamento de eventuais passivos ambientais; Ver tópico

XIV - distribuição de riscos entre a concessionária e o Estado de São Paulo; Ver tópico

XV - a fiscalização será realizada pela ARTESP; Ver tópico

XVI - as partes deverão respeitar os direitos dos usuários. Ver tópico

Publicado em: 30/11/2021 Atualizado em: 30/11/2021 10:32 66.272.docx

×

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)